Search

Acaba neste sábado o limite de pessoas em ambientes abertos ou fechados em todo o estado

Governo do estado diz que as liberações só são possíveis devido a estabilização dos números da pandemia no RS. Foto: Ilustração/Pixabay
Governo do estado diz que as liberações só são possíveis devido a estabilização dos números da pandemia no RS. Foto: Ilustração/Pixabay

Depois de mais de um ano e meio de enfrentamento à pandemia
de coronavírus no Estado, com rígidos protocolos sanitários e monitoramento
diário dos indicadores de novos casos e de internações, o governo do Estado
decidiu, nesta quarta-feira (17), anunciar atualizações nos procedimentos.
Diante da estabilização dos números da pandemia no RS, o Gabinete de Crise
passa a fazer recomendações a respeito de quais protocolos devem ser adotados –
com exceção de algumas regras obrigatórias que ainda deverão ser seguidas por
todas as pessoas.

– Siga a Acústica no Google notícias tocando aqui

“Sempre fizemos flexibilizações com responsabilidade,
buscando proteger a população contra o vírus e também manter as atividades
econômicas em funcionamento. Agora, diante da estabilidade duradoura dos
indicadores em patamares baixos, decidimos dar esse passo, com cuidados, sem
dar chance para uma nova onda e novas restrições. Estamos reduzindo as
exigências para que, se mais adiante for necessário restringir mais, tenhamos
maior colaboração das pessoas, que estarão cientes de que as medidas não
estarão sendo adotadas por acaso. É preciso que todos colaborem e continuem se
cuidando”, disse o governador Eduardo Leite.

– Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Toque aqui e inscreva-se no nosso canal!

A partir dessa determinação, a abordagem com relação ao
combate à pandemia de coronavírus passa a priorizar a responsabilidade de cada
pessoa pela proteção individual e coletiva. Fica retirado, por exemplo, o teto
de ocupação dos locais, tanto abertos como fechados, bem como a previsão de
multas para descumprimento.

No entanto, há quatro protocolos que deverão ser
cumpridos. O decreto com o detalhamento será publicado até sexta-feira (19/11),
com vigência a partir de 0h de sábado (20/11).

– Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

Entenda o que muda a partir deste sábado (20):

– Fica retirado o teto de ocupação dos locais, tanto abertos
como fechados, bem como a previsão de multas para descumprimento.

– O comprovante vacinal continuará obrigatório em atividades
de maior risco ou aglomeração, como competições esportivas, festas e casas
noturnas, cinemas, teatros, shows e demais ambientes de espetáculo, feiras,
exposições e congressos, parques de diversão, temáticos, aquáticos e de
aventura, jardins botânicos e zoológicos, além de outros atrativos turísticos.
Para as demais atividades, passará a ser uma recomendação.

– Municípios em que 90% da população adulta esteja com o
esquema vacinal completo ficam autorizados a adotar esse protocolo como
recomendação (e não exigência) para todas as atividades, incluindo as de maior
risco. No entendimento do Gabinete de Crise, esse índice proporciona maior
segurança quanto ao risco de contágio.

“A partir dessa determinação, a abordagem com relação ao
combate à pandemia de coronavírus passa a priorizar a responsabilidade de cada
pessoa pela proteção individual e coletiva”, ressaltou o Palácio Piratini.

– O sistema “3As” de Monitoramento será mantido, com
acompanhamento constante dos indicadores da covid para que, caso necessário,
sejam emitidos “Avisos” ou “Alertas” às regiões. Para uma eventual piora de
indicadores, o governo gaúcho mantém a prerrogativa de adoção de medidas
adicionais, como a retomada de restrições.

– Usar máscara bem ajustada e cobrindo boca e nariz,
principalmente em locais fechados ou com maior número de pessoas, continuará
sendo obrigatório, inclusive por meio de lei federal.

– O mesmo valerá quanto a manter e garantir o isolamento
domiciliar de pessoas e seus contactantes com suspeita de covid até acesso à
testagem adequada e, em caso de confirmação, evitar a realização de atividades
fora de casa.

– Também permanecerá a exigência de disponibilização de água
e sabão ou álcool-gel 70% para público e trabalhadores, para limpeza frequente
das mãos.

– Recomenda-se, de forma não obrigatória, manter distância
segura de no mínimo 1 metro (um braço estendido) em relação a outras pessoas
que não fazem parte do convívio diário.

– Igualmente se sugere priorizar a realização de atividades
em locais abertos ou garantir a renovação natural do ar, com portas e janelas
bem abertas ou sistema de circulação de ar.