Search
EDUCAÇÃO

Alunos de Tapes são premiados na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

Nota máxima de 9,6 garantiu medalhas de ouro para a dupla
358406351_664956672338010_5463774271181728074_n
Os alunos Davi Fernandes (11 anos) e Letícia de Bona (15 anos) de Tapes, conquistaram medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). A notícia foi compartilhada pela prefeitura do município, na tarde desta quinta-feira (06).

A dupla participou da 26ª edição ocorrida em maio e exigiu conhecimentos básicos de astronomia. A Olimpíada  tem por objetivos fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia, Astronáutica e ciências afins, promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa, mobilizando num mutirão nacional entre a comunidade acadêmica.

Os alunos de Tapes estudam na Escola Municipal de Ensino Fundamental Cívico-Militar José Divino Barbosa Pereira e tiveram coordenação do professor de Geografia Yuri Glória da Trindade. Ambos estudantes obtiveram a nota máxima de 9,6 em suas respectivas provas, garantindo a classificação.

A OBA é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) entre alunos de todos os anos do ensino fundamental e médio em todo território nacional e no exterior, desde que por escolas de língua portuguesa.
A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica  é considerada a maior olimpíada científica do Brasil, sendo organizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e pela Agência Espacial Brasileira (AEB).

A OBA é dividida em quatro níveis, sendo os três primeiros para alunos do ensino fundamental e o quarto para os do ensino médio. A prova é composta por dez perguntas: sete de astronomia e três de astronáutica. A maioria das questões é de raciocínio lógico. As medalhas são distribuídas de acordo com a pontuação obtida em cada nível.