Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Dengue

Dois focos do mosquito transmissor da dengue são encontrados em Camaquã

Em entrevista, o chefe do setor de Vigilância em Saúde ressaltou a importância de medidas de prevenção da doença
Foto: Reprodução | Acústica FM
Foto: Reprodução | Acústica FM

Na segunda quinzena de janeiro foram identificados dois focos do mosquito transmissor da dengue foram encontrados em Camaquã, ambos no bairro Carvalho Bastos. Informação foi confirmada pelo chefe do Centro de Vigilância em Saúde do município, Fabiano Martins, na tarde dessa quarta-feira (07), em entrevista ao programa Redação Acústica.

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp clicando aqui!

Durante a participação, o chefe setor realizou o alerta para a população sobre a importância de realizar a vistoria nos pátios. Ainda ressaltou, “nós não temos a doença, mas temos o mosquito”. Uma característica do mosquito Aeds aegypti, que é o transmissor da dengue e da Chikungunya, é gostar de água limpa e depositar larvas, normalmente, em lugares com bordas lisas e que acumulem água.

Martins conclui a entrevista pedindo a compreensão e a ajuda da população para as ações do Centro de Vigilância em Saúde realiza que realizam vistorias em imóveis no município para o combate à Dengue.

Dicas de controle e cuidado:

  • Não deixe água parada, destruindo os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve, evita sua procriação.
  • Deixe sempre bem tampados e lave com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros
  • Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho.
  • Plantas que possam acumular água devem ser tratadas com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água, regando no mínimo, duas vezes por semana. Tire sempre a água acumulada nas folhas.
  • Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guarde garrafas vazias de cabeça para baixo.
  • Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto.
  • Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechado. Em banheiros pouco usados, dê descarga pelo menos uma vez por semana.
  • Retire sempre a água acumulada da bandeja externa da geladeira e lave com água e sabão.
  • Sempre que for trocar o garrafão de água mineral, lave bem o suporte no qual a água fica acumulada.
  • Mantenha sempre limpo: lagos, cascatas e espelhos d’água decorativos. Crie peixes nesses locais, eles se alimentam das larvas dos mosquitos
  • Lave e troque a água dos bebedouros de aves e animais no mínimo uma vez por semana.
  • Limpe frequentemente as calhas e a laje das casas, coloque areia nos cacos de vidro no muro que possam acumular água.
  • Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos.
  • Mantenha o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças. Chame a limpeza urbana quando necessário.
  • Permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.

Confira a entrevista na íntegra:

Tags: Camaquã, dengue, mosquito