Camaquã
17°C
Camaquã
17°C
Saneamento

“Era para ter hoje 53% de esgoto tratado, mas há zero e não podemos exigir da comunidade”, diz Procurador Municipal sobre saneamento básico

Em entrevista, Fabiano Ribeiro falou sobre a revisão do plano municipal de saneamento e a situação atual do serviço em Camaquã
Foto: Bruno Bonilha/Acústica FM
Foto: Bruno Bonilha/Acústica FM

Na manhã desta segunda-feira (22), o procurador do município de Camaquã, Fabiano Ribeiro, concedeu entrevista para o Primeira Hora. Em pauta, o gestor falou sobre a revisão do plano de saneamento municipal e as demandas que deveriam ser atendidas pelo contrato firmado com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

O contrato do município junto a empresa foi firmado em 2013, para cumprir os serviços de saneamento básico, mas o procurador aponta que as metas não estão sendo cumpridas:

“Nós éramos para ter hoje 53% do nosso esgoto tratado, mas temos zero de esgoto tratado. A Corsan deveria ter uma estação para tratar o lodo, mas não há e não podemos exigir da comunidade”, diz Medeiros.

A empresa foi notificada, mas posiciona-se afirmando estar dentro de prazos estabelecidos. Com isto, o Executivo foca na revisão do plano municipal de saneamento para promover uma a reestruturação no serviço de abastecimento de água e tratamento de esgoto. Após esta revisão uma licitação para os serviços será aberta, no qual a Corsan poderá participar ou não.

Confira a entrevista com o procurador Fabiano Ribeiro na íntegra.

Tags: Corsan, Saneamento, Saneamento básico