Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
VERÃO

Estado tem 84 pontos próprios para banho e sete impróprios

Resultado está condicionado a cinco semanas de monitoramento
Imagem mostra o nascer do sol na praia do Areal em Camaquã. Foto: Gil Martins/Acústica FM
Imagem mostra o nascer do sol na praia do Areal em Camaquã. Foto: Gil Martins/Acústica FM

O nono boletim da temporada 2023/2024 do projeto Balneabilidade, divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) nesta sexta-feira (09), traz uma boa notícia para quem vai passar o feriadão de Carnaval no Litoral Norte: a água está própria para banho em todos os pontos monitorados. Considerando as demais regiões do Estado, são 84 próprios e 7 impróprios:

  • Barra do Ribeiro – Praia Recanto das Mulatas – Lago Guaíba
  • Candelária – Balneário Carlos Larger – Rio Pardo
  • Dom Pedrito – Praia Passo Real – Rio Santa Maria
  • Pelotas – Valverde – Trapiche
  • Pelotas – Valverde – Av. Sen. Joaquim A. de Assunção
  • Santa Vitória do Palmar – Barra do Chuí
  • Santa Vitória do Palmar – Balneário do Porto – Lagoa Mirim

Os balneários em condição imprópria são os mesmos do boletim anterior, com exceção da Praia da Cal, em Torres, que deixou a lista esta semana.

A recomendação é que os banhistas evitem pontos impróprios e arredores, especialmente junto às águas que chegam às praias por tubulação, arroios ou rios. O alerta vale principalmente para crianças, idosos e pessoas com baixa imunidade. Os sintomas mais comuns após o banho em áreas contaminadas são diarreia, dor abdominal e enjoos.

Divulgação

O monitoramento da qualidade da água é feito semanalmente, e os boletins são divulgados sempre às sextas-feiras no site da Fepam, mídias sociais e no web aplicativo Balneabilidade.

Os avisos de local próprio ou impróprio para banho também devem estar em destaque em placas informativas fixadas nos pontos de coleta de água. A instalação das placas e atualização do resultado da semana (próprio ou impróprio) é de responsabilidade das prefeituras, já que essa é uma questão de saúde pública.

Classificação

Para identificar se as condições de balneabilidade em determinado local são adequadas, são analisados dois indicadores:

Escherichia coli, também chamada de E.coli, bactéria cuja presença em abundância na água indica contaminação por fezes;

Cianobactérias, ou algas azuis, que podem ocorrer em qualquer manancial superficial.

Os parâmetros utilizados estão previstos nas resoluções Conama 274/2000 e 357/2005. As cianobactérias são analisadas somente nos balneários de Osório (Lagoa Peixoto), Pelotas e Tapes.

O resultado está condicionado a cinco semanas de monitoramento. Se, ao longo desse período, duas ou mais amostras do conjunto apresentarem resultado superior a 800 para E.coli ou, ainda, se a amostra mais recente das cinco avaliadas apresentar resultado maior que 2.000 para E.coli, o ponto será classificado como impróprio. O mesmo ocorre se a contagem de cianobactérias extrapolar 50 mil células.

Realização

As coletas em água salgada no Litoral Norte e respectivas análises são feitas pela Fepam, por meio da Gerência Regional do Litoral Norte Sema-Fepam (Gerlit) e da Divisão de Laboratórios (Dilab). O projeto é coordenado pelo Departamento de Qualidade Ambiental (DQA). Os demais pontos são monitorados com apoio da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep).

Recomendações aos banhistas:

  • Entre na água apenas em local com condição PRÓPRIA para banho.
  • Evite tomar banho nas primeiras 24 horas após chuvas intensas, em saídas de córregos ou rios que afluem nas praias, pois as águas podem estar contaminadas por esgotos domésticos.
  • Não tome banho em locais com concentração de algas, pois podem conter toxinas prejudiciais à saúde.
Fonte: Ascom Sema

Tags: Praia, verao