Search
Violência

Homicídios aumentam 15% no Rio Grande do Sul

Outros crimes violentos, como latrocínio (roubo com morte) e feminicídios, também cresceram.
Divulgação SSP
Divulgação SSP

Após um longo histórico de quedas, o número de homicídios aumentou em janeiro no Rio Grande do Sul. Foram 163 casos no período em 2023 e 187 no primeiro mês de 2024, um avanço de 15%. Outros crimes violentos, como latrocínio (roubo com morte) e feminicídios, também cresceram.

Os números foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-RS) nesta quinta-feira (15).

Em relação aos homicídios, o aumento foi significativo: foram 24 casos a mais em janeiro. Um dos municípios com aumento de casos é Caxias do Sul, com 15 assassinatos, na Serra. A localidade chegou a receber reforço de um delegado e cinco agentes, na tentativa de conter a onda de violência.

“Estamos intensificando as ações com foco no combate ao tráfico de drogas, muita pressão operacional, prisões perdidas, apreensões de drogas e de armas. Mandamos reforços para Caxias do Sul. Estamos acompanhando de cima a situação de Passo Fundo, onde houve uma redução dos indicadores. Porto Alegre já vem também com uma redução de homicídio. Agora, no mês de fevereiro, seguimos atentos em relação a Canoas, com toda a tensão e reforços que são necessários. E hoje o nosso principal foco de combate aos homicídios é no município de Caxias do Sul, onde temos hoje, além do policiamento ostensivo e do choque, o reforço de mais de 70 Brigadianos do choque e do Bope de Porto Alegre. A aeronave tem reforços também da polícia civil. Temos uma delegacia inteira do departamento de homicídios que foi deslocada para Caxias, para que a gente coloque novamente em queda esses homicídios na Serra Gaúcha”, disse o Secretário de Segurança, Sandro Caron.

Os casos de feminicídio também cresceram no Estado. O crime registrou 11 casos em janeiro deste ano, contra 10 no período de 2023, um avanço de 10%. Considerado um desafio por forças de segurança do Estado, o assassinato de mulheres em razão do gênero — comumente praticado por atuais ou ex-companheiros das vítimas — representa o último ato da violência contra a mulher.

O mês passado também registrou ligeiro crescimento de casos de latrocínio no RS. Foram quatro episódios, contra três contabilizados em janeiro de 2023.

Além do reforço nas ações da Brigada Militar, a Polícia Civil realizou operações integradas, prendendo lideranças do crime organizado que estavam foragidas. No dia 10 de janeiro, foi preso, no Rio de Janeiro, um criminoso suspeito de liderar o crime organizado na Serra. Em 7 de fevereiro, outro criminoso, da mesma região, foi capturado em Santa Catarina. As duas operações contaram com apoio da Polícia Federal.

Outra preocupação é Santa Maria, que registrou quatro homicídios em menos de 12 horas.

Números positivos:

Os roubos a pedestre no Rio Grande do Sul tiveram, em janeiro, o menor número em comparação com qualquer outro mês já registrado na série histórica (iniciada em 2010). A queda vem ocorrendo desde setembro de 2023. Em comparação com janeiro de 2023, a diminuição foi de 42%, baixando de 2.381 casos para 1.391.

Os roubos de veículo tiveram, em janeiro, uma redução de 22% no Estado, passando de 358 casos no ano passado para 281 em 2024. Trata-se do menor número da série histórica para o mês desde 2002. Comparado ao pico de registros, em 2017, quando mais de 1.7 mil veículos foram roubados em um único mês, a redução é ainda mais expressiva, de 79.5%.

Mais uma vez, o crime de furto abigeato teve redução no Estado, com queda de 34% em janeiro. Em 2023, foram 301 casos no primeiro mês do ano; em 2024 as ocorrências do tipo caíram para 199.”