Search

IPE Saúde: sérios problemas precisam ser investigados, afirma deputado

Foto: Divulgação AL
Foto: Divulgação AL

O Ipe Saúde, plano dos servidores gaúchos enfrenta uma
defasagem no sistema de cobranças, o que ocasionou uma busca de seus usuários
por transparência. Na manhã desta sexta-feira (26), O deputado estadual
Giuseppe Riesgo, eleito pelo partido Novo, conversou com a Acústica FM sobre
este tema, apontando diversos fatores que expõem esta situação.

Giuseppe explica que as cobranças realizadas pelo plano já
demostram uma desproporcionalidade entre taxas.

“É uma forma de cobrança que não faz sentido. Imagine um
jovem que se torna juiz ou promotor do estado. Um cara que tem poucos anos de
vida, daí portanto tem pouco risco de utilizar o serviço do Ipê. No entanto o
salário dele é alto. Vai pagar um valor bem alto para utilizar o plano. Agora
imagine uma professora do estado, já perto dos seus setenta-sessenta anos, nós
sabemos que os salários dos professores não são muito alto. Ela vai pagar
pouco, apesar de ser uma pessoa mais velha, com mais idade, provavelmente ela
vai utilizar dos serviços, não faz sentido nenhum as formas de cobrança”, declara.

O parlamentar ainda enfatizou que há clínicas conveniadas ao
plano que realizam tratamentos para doenças oncológicas, aplicando valores
defasados para o plano. Ele salienta que existem taxas que não são atualizadas
há no mínimo dez anos. Por conta disso, muitos tratamentos com novas
tecnologias possuem valores mais acessíveis.

Investigação por parte do plano de saúde

O deputado afirma que os presidentes da instituição buscam a
transparência. De acordo com ele, os presidentes do Ipê Saúde, Júlio César
Viero Ruivo, e Ipê Previdência, José Guilherme Kliemann, são parceiros para
resolver os problemas na instituição.

Para finalizar, Riesgo afima que a regra do Ipê é torta e uma
revisão nos serviçoes é considerada urgente.