Search
Camaquã
27°C
Camaquã
27°C
Impasse

“Neste momento não temos condições de fazer uma proposta”, afirma Leite sobre aumento salarial para servidores da Segurança

Ao ser questionado em coletiva de imprensa, o governador condicionou a elevação dos vencimento da categoria à evolução de receitas 
Foto: Airton Lemos
Foto: Airton Lemos

Após a divulgação dos dados positivos sobre o índices de criminalidade, o governador Eduardo Leite afirmou nesta quinta-feira que o estado, no momento, não tem condições de apresentar uma proposta de aumento salarial para as categorias da segurança pública. Há forte pressão de áreas do setor para que haja uma elevação dos vencimentos em 2024. 

Recentemente, delegados da Polícia Civil decidiram mais uma vez suspender entrevistas sobre as operações contra o crime realizadas pela corporação.  A Alegação, segundo a Associação que representa estes policiais (Asdep),  é uma defasagem de 60% nos salários.  O pedido feito ao Piratini é por um reajuste gradual de 40% até 2026

Levantamento aponta também que mais de 100 policiais deixaram a Polícia Civil nos últimos dois anos. Somente em 2023, 64 profissionais pediram exoneração. O número é 48,8% maior que em 2022, com 43 exonerações registradas e 300% maior que em 2020, quando apenas 16 policiais civis deixaram a polícia. Os números foram divulgados nesta semana pelo Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do Rio Grande do Sul (Ugeirm)

 “Nosso esforço é também para viabilizar a revisão geral aos servidores. Neste momento, nós ainda não temos a condição de apresentar alguma proposta, estamos acompanhando a evolução da arrecadação do estado. Há um processo em relação ao que se aguarda de repercussão pelos decretos que fizemos de revisão de benefícios fiscais e que vão suplementar a partir de abril. Então, até lá, dificilmente o estado poderá apresentar alguma proposta, então vamos aguardar. Temos uma expectativa que dentro deste primeiro semestre, a gente consiga ter condição de avançar em alguma proposta em relação aos nossos servidores. Mas nós temos algumas ações, como o aumento do vale-refeição para o funcionalismo “, observou Leite em entrevista coletiva no Palácio Piratini, após divulgação dos índices de criminalidade do RS.

Durante a apresentação, Leite também destacou uma demanda das categorias atendida pelo governo. No final de dezembro, o Piratini publicou as promoções para os servidores da área de segurança pública.  Em edição extraordinária do Diário Oficial do Estado , o governo promoveu 2.540 servidores da Brigada Militar (BM), da Polícia Civil (PC), do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS), do Instituto-Geral de Perícias (IGP) e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

 

Promoções realizadas pelo governo em dezembro

Brigada Militar

Primeiro-sargento: 319

Terceiro-sargento: 1

Major: 71

Tenente-coronel: 65

Coronel: 30

Total: 486

 Corpo de Bombeiros Militar

Segundo-sargento: 316 (Curso Técnico em Segurança Pública)

Capitão: 6

Major: 18

Tenente-coronel: 7

Total: 347

 Polícia Civil

Delegados: 84

Agentes: 1.162

Investigadores: 15

Total: 1.261

 IGP

Servidores: 80

Total: 80

 Susepe

Agentes penitenciários: 232

Agentes penitenciários administrativos: 126

Técnicos superiores penitenciários: 8

Total: 366

 

TOTAL GERAL: 2.540