Search

Operação Energy prende cinco por furto de energia em Camaquã

img_15715_foto_1.jpg

A Operação Energy no combate ao furto de energia resultou em cinco prisões em estabelecimentos comerciais em Camaquã. A fiscalização em mais de 80 ramais de energia ocorreu nesta quinta-feira (27) em que 17 equipes de fiscalização da Companhia Estadual de Energia Elétrica (Ceee) participaram da ação.

Na manhã desta sexta-feira (27) o gerente regional da CEEE, Aurélio Knepper, participou ao vivo do programa Primeira Hora e detalhou o progresso da ação. Conforme Knepper a empresa perde anualmente cerca de 17% de seu faturamento, o que representa R$ 200 milhões em todo o Estado. “Somente em Camaquã são cerca de R$ 6 milhões em perdas anuais. Esse valor poderia ser somado aos investimentos da empresa no município, e ser revertido a investimentos”, alerta. Desde agosto do ano passado quando foi intensificada, já recuperou mais de R$ 23,5 milhões.

Conforme o Delegado Luciano Dias Peringer, o furto de energia por estabelecimentos comerciais está no foco de combate da Delegacia, além de gerar grandes perdas na rede de energia com prejuízos arcados por toda a população, diminui a arrecadação de impostos a conduta gera perigo e instabilidade na rede energética, além de promover concorrência desleal: “aquele que mantem comércio regularmente não consegue competir de forma igualitária com aquele que se vê livre do custo de energia intrínseco à atividade econômica” afirma.

A operação foi realizada pela Polícia Civil por meio da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio das Concessionárias e os Serviços Delegados (DRCP), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), sob a coordenação do Delegado de Polícia Peringer, com o apoio da Delegacia de Polícia de Camaquã e da empresa de CEEE. O trabalho envolve também o monitoramento de como estão funcionando os medidores da Companhia.

Desde o início da campanha “Fez Gato Pagou o Pato”, foram fiscalizadas 23,4 mil unidades consumidoras, das quais 8,3 mil apresentaram irregularidades, que resultaram em 44 pessoas presas em flagrante. Fraude e furto de energia elétrica são considerados crime e crime continuado, com prisão de até oito anos prevista no Artigo 155 do Código Penal.

A CEEE vem tomando uma série de ações para que os resultados do combate às perdas sejam cada vez mais eficazes:

a. Telemedição e monitoramento on-line dos maiores consumidores, responsáveis por 60% do faturamento;

b. Automação da medição, corte e religue em locais de vulnerabilidade social;

c. Aperfeiçoamento do sistema de medição para inibir e dificultar as práticas de adulteração dos registros de consumo;

d. Intensificação das ações com órgãos de segurança pública;

e. Compra de software dedicado para mineração de dados, onde se é possível detectar possíveis desvios de consumo e por consequência identificar possíveis fraudadores;

f. Denúncias recebidas pelos canais de atendimento;

g. Campanhas de fiscalização segmentadas (indústrias, supermercados, padarias, lojas, etc);

h. Contratação de equipes de fiscalização terceirizadas;

i. Novas tecnologias no combate as perdas comerciais (Ex: frota, equipamento de campo);