Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Fumicultura

Preço do tabaco: nova reunião terminou sem acordos

Mais três empresas foram recebidas pela comissão representativa dos fumicultores
Foto: Afubra/Divulgação
Foto: Afubra/Divulgação

Mais uma rodada de reuniões de negociação de preço do tabaco para a safra 2023/2024 foi realizada nesta semana. Três empresas foram recebidas pela comissão representativa dos fumicultores.

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

Com nenhuma delas, foi firmado protocolo, apesar das entidades terem reconsiderado a proposta inicial da variação do custo de produção de cada empresa mais 5 pontos percentuais, como reajuste dos valores das tabelas de preços mínimos.

Veja:

Universal Leaf:

Variação do custo de produção Virgínia: 6,31%

Variação do custo de produção Burley: -2,11%

Proposta de reajuste de 6,31%, para Virgínia, com a diferenciação para as classes CO1 + 7,26%, BO1 + 7,40% (R$ 21,05 o kg), TO1 + 8,00% e TO2 + 7,60%

Proposta de reajuste de 6,31%, para Burley com diferenciação para as classes X1 + 11,85%, C1 + 9,25%, C2 + 10,78%, B1 + 7,87% e T1 + 10,97%

Contraproposta da Comissão para o Virgínia: 6,31% mais 2,94 p.p.

Premium:

Variação do custo de produção Virgínia: 6,46%

Variação do custo de produção Burley: 1,81%

Proposta de reajuste de 6,50% para as duas variedades

Contraproposta da Comissão para o Virgínia: 6,46% mais 2,94 p.p.

BAT

Variação do custo de produção Virgínia: 7,55%

Proposta de reajuste de 7,55% mais 1 p.p.

Contraproposta da Comissão: 7,55% mais 2,94 p.p.

A Comissão lamenta que, mais uma vez, as reuniões terminam com notícias negativas. “A comissão representativa dos produtores não reconhece a tabela de empresa que não concede reajuste de, no mínimo, da variação do custo de produção. As empresas, ao não repor nem a variação do custo de produção da safra, demonstram não ter comprometimento com seu produtor integrado”, enfatizam os representantes. “Para assinar protocolo somente com a reposição do custo de produção mais um percentual de lucratividade, conforme proposta realizada”.

A comissão representativa dos produtores de tabaco é formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelas Federações da Agricultura (Farsul, Faesc e Faep) e dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Fonte: Afubra

Tags: afubra, Agricultura, Agro, Cidades, Economia, Fumicultura, Fumo, Rio Grande do Sul, Tabaco