Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Criminalidade

Preso homem acusado de homicídio qualificado e estupro de vulnerável

Polícia Civil realizou entrevista coletiva onde divulgou os dados
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Polícia Civil, por meio da Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, juntamente com a Brigada Militar, prendeu em flagrante um homem por homicídio duplamente qualificado e estupro de vulnerável. O crime aconteceu na região metropolitana de Porto Alegre.

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp clicando aqui!

Na noite da última segunda-feira (05), por volta das 21 horas, os policiais receberam a informação de que uma criança do sexo feminino tinha entrado no Hospital da Restinga com diversas lesões, vindo a óbito. As equipes se deslocaram ao local e colheram o depoimento de sete pessoas, obtendo prontuários e exames médicos da vítima.

Com o resultado, descobriram que a vítima ficou sob a responsabilidade, na parte da tarde, de um indivíduo de 22 anos, namorado da mãe da menina há aproximadamente seis meses, enquanto ela trabalhava. Conforme testemunhas, esse teria dito que a criança havia se engasgado quando tomava leite, razão pela qual a cuidadora da criança, quando chegou ao local em que essa estava, levou-a ao hospital.

Ao chegar no hospital, verificou-se que a menina tinha lesões compatíveis com agressão e abusos sexuais, descartando-se a hipótese aventada pelo suspeito. Como consequência, o suspeito foi preso em flagrante pelos crimes de homicídio qualificado e estupro de vulnerável. Representou-se, ainda, por sua prisão preventiva.

Durante coletiva de imprensa, o Secretário de Segurança Pública do RS, Sandro Caron, enfatizou que crimes graves no Estado não ficarão impunes:

“Acontecendo fatos dessa gravidade, a resposta do Estado vai ser extremamente rápida e firme, para ficar mais uma vez o recado de que aqui não vai haver impunidade. As polícias estão fazendo o seu trabalho”, destacou.

Em sua manifestação, o Chefe de Polícia, Delegado Fernando Antônio Sodré de Oliveira salientou a importância dos profissionais de saúde chamarem a polícia em caso de dúvidas:

“O Hospital da Restinga informou imediatamente a Brigada Militar e a Polícia Civil. Nesse caso, a dúvida foi realmente relevante e, na dúvida, chamem a polícia. Chegando lá, ficou comprovado que havia um fato criminoso envolvendo essa criança”, concluiu.

Também participaram da coletiva de imprensa o Subchefe da Polícia Civil, Delegado Heraldo Guerreiro; o Comandante do 9º BPM, Tenente-Coronel Fábio Schmitt; o Diretor do DPGV, Delegado Christian Nedel; o Diretor da Divisão de Homicídios da Capital/DHPP, Delegado Thiago Lacerda.

As investigações prosseguirão no Departamento Estadual de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV), a fim de verificar se há outros responsáveis pelos crimes descritos ou por outras condutas delitivas.

Texto: Polícia Civil

Tags: Polícia, Rio Grande do Sul