Search
H5N1

RS conduz ações de vigilância a partir de novo foco de gripe aviária

Aves silvestres estavam em uma propriedade de Rio Pardo
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em reunião realizada nesta quarta-feira (14), a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi) apresentou a representantes do setor produtivo e do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) as ações tomadas a partir da confirmação de um foco de influenza aviária de alta patogenicidade, a H5N1, em aves silvestres numa propriedade de Rio Pardo. O recolhimento da amostra ocorreu em 8 de fevereiro, com o laudo confirmando a infecção emitido pelo laboratório de referência do Mapa em Campinas no domingo (11).

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp clicando aqui!

Conforme preconizado pelo Ministério, um raio de três quilômetros foi traçado a partir do foco, contabilizando 27 propriedades com registro de produção animal na área delimitada.

“Vamos cobrir uma área maior, com raio de cinco quilômetros, e neste novo traçado temos 124 propriedades com aves”, contou a diretora do Departamento de Vigilância e Defesa Sanitária Animal da Secretaria (DDA/Seapi), Rosane Collares.

A Secretaria espera concluir as visitações na área delimitada nesta sexta-feira. Propriedades localizadas em um raio de 10 quilômetros a partir do foco de Rio Pardo também serão visitadas pelas equipes da Seapi, numa ação que deve ser concluída na próxima terça-feira.

O presidente da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), José Eduardo dos Santos, destacou que a entidade vem conduzindo auditorias extras entre os associados, com uma lista de verificação das medidas de biosseguridade que as granjas comerciais devem adotar para evitar o ingresso da gripe aviária em seus planteis.

O presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa), Rogério Kerber, informou que a entidade aportou mais de R$ 1,2 milhão no setor da avicultura em 2023, com materiais de divulgação sobre a enfermidade, treinamentos e atualizações dos técnicos do Serviço Veterinário Oficial.

O secretário adjunto da Agricultura, Márcio Madalena, disse que a Secretaria está em contato com a Fetag e a Farsul para reforçar a comunicação sobre a gripe aviária entre seus federados. “São grandes parceiros que podem nos ajudar muito a levar informações técnicas aos produtores rurais, combatendo a desinformação”, destacou.

Ações de conscientização sobre a importância da notificação de casos suspeitos são feitas de forma contínua pela Secretaria da Agricultura desde o ingresso da gripe aviária na América do Sul, em outubro de 2022, e o foco confirmado de Rio Pardo é um exemplo de como a população vem absorvendo essas informações.

“Uma equipe da Seapi promovia atividades de vigilância em febre aftosa em Rio Pardo e aproveitou a oportunidade para distribuir folhetos sobre a gripe aviária. Com estas informações, o morador notificou as sete aves silvestres mortas em sua propriedade. Esse caso mostra a importância das ações de educação sanitária que estamos promovendo desde o ano passado”, pontuou Rosane.

Para mais informações clique aqui.

Fonte: Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi)

Tags: Agro, Gripe Aviária, H5N1, Rio Grande do Sul